Seguidores

Pesquisar este blog

domingo, 28 de fevereiro de 2016

MEU FAZER PEDAGÓGICO

Sempre trabalhei buscando fomentar a leitura e a escrita, desde que fui alfabetizada. Daí alfabetizei as irmãs, os vizinhos e hoje busco atingir a todos com minhas ideias maluquinhas, kkkkk, a Biblioteca Comunitária Bcvl, Café Poético Sergipano e o Sarau Sergipano de Mulheres. E o melhor, sempre encontro sonhadores como eu, não é Domingos Pascoal, Claudia Stocker e Neide Honorato? Na foto, em 2007, respondo pq criei a BCVL. Porque percebi que as crianças que frequentavam o cantinho de leitura da sala, eram mais desenvolvidas. A leitura é tudo de bom.

OS PROBLEMAS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

O título deste artigo é angustiante. Posso deixar meu leitor ou leitora confuso. Se eu sei os problemas, também sei quais são as soluções. Que eu descobri a fórmula mágica. Não é isso. Eu sei pontuar os problemas, porque vivo a educação 24 horas, como professora que sou com quase 20 anos de magistério público. Sei o que é querer dar uma aula e não ter nem o giz, pedir uma folha de sulfite e escutar um não. Lápis de colorir nem pensar.  Realmente ser professor num país que não entende, que a educação liberta seu povo, é complicado.
O Brasil ocupa a 60ª posição no ranking de educação, numa lista com 76 países, só ficando a frente de países como Argentina, Colômbia e Gana, segundo  os dados da OCDE( A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Mas porque isto acontece? Eu acredito que seja devido o valor de investimento por aluno, que é um dos menores.
Enquanto aqui se gasta U$ 2.751 por aluno, a Rússia gasta U$ 4.100 e os Estados Unidos U$ 10.000. Claro que este não é o único problema da Pátria Educadora, mas é uma das barreiras e o que mais dificulta. Um governo que não investe na educação do seu povo, não é um governo para ser levado a sério.

Esta sou EU

E eu estou terminando um curso de Conselheiros Escolares( MEC), Gestão para a Aprendizagem, pela Fundação Lemann e Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica, pela Gama Filho, este último mais uma pós, tudo online, fora minhas atribuições profissionais, livros para lançar, o Café Poético Sergipano e o Sarau Sergipano de Mulheres. Não vamos esquecer o meu xodó, Biblioteca Comunitária Bcvl, POXA, sabe de uma coisa, gosto disso, penso que nasci para ficar de pé, para correr se for o caso, porque não sei esperar, nasci de 7 meses. Não reclamo dos meus afazeres, a vida para mim é isso, é movimento, é fazer a hora, é não culpar os outros pelos meus defeitos e limitaçoes. Eu crio, isso todo mundo sabe, não copio e não deixo de dar os créditos, sou vaidosa, meu grande defeito, mas amo as pessoas, amo gente. Quando morrer,quero deixar uma mensagem de otimismo, se vc quer, vc pode. Que venha o MAC/ASL- Academia Sergipana de Letras, estou pronta para colaborar. Goethe já alerta: quem tem bastante por dentro, pouco precisa de fora, gostei. Vou começar a praticar, quem sabe chego a Deus, mais depressa, rs.

Educadora Cris Souza
03.10.2015

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Educação: o que está errado?

Criei este blog há alguns dias. Por isso ele é praticamente um diário pessoal, pelo menos neste momento. Não sei se gosto disso, mas pelo menos estou sentindo uma paz danada. Talvez estar um pouco com você mesma, de vez em quando, faça bem a alma.
Vivo preocupada com todos, principalmente com as crianças da periferia. Geralmente são elas a minha clientela, já que faço parte do corpo docente desta cidade. Sou professora da rede pública estadual e municipal. Vejo eles e me vejo Também fui aluna de periferia, de escola pública. Filha do meio, de mãe dona de casa e pai mestre de obras. Família humilde mas focada em um só viés: educar bem os filhos. Estudei desde cedo no Grupo Escolar Ivo do Prado, vesti saia de pregas de tergal azul e blusa com mangas de poliéster branca e escudo da escola no bolso. Tempo bom. Tínhamos recreio e uma merenda boa. Sempre que fecho os olhos, recordo-me do dia da sopa, kkkkkk, e da professora pedindo para cada um de nós trazer um legume. Estudei muito, gostava de ler os livros didáticos, principalmente o de português, que tinha pedaços de textos, dos grandes poetas e escritores brasileiros. Assim conheci Drummond de Andrade, Clarice Lispector e tantos outros. Fui alfabetizada precocemente lendo o livro de páginas amarelas de minha mãe Dona Guiomar, era as aventuras do Robson Crusoé. Esta minha bagagem, serve para eu tentar entender meus alunos e ajudá-los. Se eu consegui, porque eles não podem conseguir? o que está errado e o que não funciona? O nosso país precisa reinventar uma forma de educar as nossas crianças. As escolas precisam acompanhar o interesse da gurizada. Escolas feias e sem graça não cativa. Professor deprimido e infeliz, faz mal a ele e aos seus alunos. Conteúdos extensos e cansativos requer uma metodologia específica. Eu acredito que podemos mudar a nossa educação. Só precisamos de coragem e vontade. Eu acredito.

Autora: Cris Souza

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Quando do lançamento do meu livro em 06 de dezembro de 2012, CAROLINA E SUA BONECA LINDINHA, no Museu da Gente Segipana, durante o I Encontro dos Escritores Sergipanos.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Educar para a Vida - Cris Souza


Educação, palavra tão falada, mas na verdade tão ignorada. O que é educação? O que é educar? Qual a diferença entre ensinar e educar? Vamos por partes. Educação, segundo o dicionário de Aurélio, é o processo de desenvolvimento da capacidade física, intelectual e moral do ser humano. Dando prosseguimento, ainda consta neste dicionário, que é polidez e civilidade.
Pelo visto alguma coisa não está funcionando bem. O que vemos na sua maioria, são pessoas grosseiras umas com as outras, sem o mínimo de gentilezas. Jovens que não sabem cumprimentar, que não conseguem pronunciar um simples bom dia, boa tarde e boa noite, o básico de uma boa educação. Que em vez de um com licença, invadem e destroem.
Seres que preferem agredir, matar e violentar. Que não têm a mínima vontade de aceitar o outro, com suas características peculiares, afinal, somos diferentes, e o nosso direito acaba, quando começa o do outro.
Educar então seria aprender a respeitar, a compreender, a ter tolerância. Entender que os valores existem para ajudar os seres humanos a conviverem em harmonia, em comunhão. Então se presume que a escola não está educando, muito pelo contrário, esta instituição preocupa-se somente em formar trabalhadores, mãos de obra para o enriquecimento do país e não em formar cidadãos, seres preocupados com os problemas de seu povo, comprometidos com as causas sociais.
Ensinar é o ato meramente mecânico de passar os conteúdos programáticos, conhecimentos, sem o professor se envolver afetivamente com seu aluno. O aprendizado acontece de forma impessoal e formal. Mas pelo visto este aprendizado está deixando também a desejar, pois os Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), mostram que estamos longe de alcançar o patamar ideal. Então a pergunta que não quer calar: ‘’ESTAMOS FRACASSANDO EM ENSINAR E EDUCAR’’? A escola não está conseguindo desenvolver a sua função social. Isto é um fato com argumentos. A escola está falida. Esta instituição formal não atende aos anseios de uma juventude que quer desvendar, desbravar o desconhecido, que é vista como número. A massificação é geral.
Enquanto a educação ver o aluno como número nada vai mudar. Só fracassará. E esse caos aqui relatado, continuará. ‘’NINGUÉM POR TODOS E TODOS SEM NINGUÉM’’. A educação de qualidade precisa tratar a criança com excelência, mostrar que ela pode ser sujeito de seu aprendizado, que só ela pode se educar e se afastar da mediocridade. Que o mestre é só mais um partícipe deste longo processo, não é o dono do saber.

Autora: Educadora Cris Souza

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Imortal Domingos Pascoal de Melo

Falar deste moço é fácil, é uma pessoa do bem, é um ser íntegro, gentil e humano. É gente que faz, produz, articula, promove e integra. Costumo chamá-lo de " cabecinha", kkkkk, porque sua cabeça não para, sempre trabalhado em prol da sociedade. DEPOIS CONTINUO. São tantas coisas para falar deste anjo.

Querido amigo Edivan Santos

Sempre bom reencontrar amigos, e este aqui é uma pessoa fora de série. Natural de São Miguel do Aleixo, filósofo, jornalista e escritor de primeira grandeza. Edivan Santos, sou sua fã.

Formandos de 2014

E a cada ano eles partem, o meu coração chora, mas sei que é preciso deixá-los partir, bem formados e orientados. Um ciclo se fecha e outro automaticamente se abre. É vida que segue. Só peço a Deus, que eles tenham todas as oportunidades possíveis. Aqui na foto, com alguns formandos de 2014, e o imortal da Academia Sergipana de Letras, Domingos Pascoal de Melo, Patrono da turma. Em EMEF Alencar Cardoso, escola onde sou Diretora Geral, desde 2012.




Posse de Tamária Santos Duca Pinheiro

Numa manhã de verão, lindíssima, a Secretária Adjunta da Educação Municipal, Osvaldina Cruz,  empossou a minha querida colega Tamária Santos Duca Pinheiro, como Coordenadora Pedagógica na minha gestão. Agora sim, minha equipe de trabalho está mil. Seja bem-vinda professora, a EMEF Alencar Cardoso. Opsss, faltei registrar a presença, da querida Arthemízia Fontes, a secretária escolar da nossa Unidade de Ensino.

Grande escritor Hunald de Alencar

Prestigiando o imortal, da Academia Sergipana de Letras, Hunald de Alencar, na tarde do lançamento do seu livro. Gente finíssima, me tratou com muitas gentilezas.

Bienal do Livro, em Itabaiana

E fui a Bienal do Livro em 2013 e 2015, em Itabaiana. É um evento maravilhoso, onde os poetas e escritores podem declamar, divulgar suas obras e interagir com os demais amantes das letras e das artes.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Educar é um ato de amor

Sou pedagoga, especialista em educação, e acredito que posso ajudar a melhorar a educação do meu país. Sou muito feliz em trabalhar no que eu gosto e no que acredito. Por isso, todos os dias, acordo feliz. Sei que faço a diferença, que dou a minha parcela de contribuição para  a educação realmente ser um direito de todos, independentemente da classe social.
Como disse o querido mestre Paulo Freire, Educar é um ato de amor.

IV Enconntro de Contadores de Histórias - 2014

Foi maravilhoso participar do IV Encontro de Contadores de Histórias do estado de Sergipe, como palestrante, em 2014. Falei da minha experiência com a BCVL - Biblioteca Comunitária Viajando na Leitura, espaço que eu criei e disponibilizei para toda a comunidade do Bairro 18 do Forte, aqui em Aracaju-Se. Fiquei muito feliz com o convite da Claudia Stocker, diretora da Biblioteca Pública Aglaé Fontes de Alencar.

Educadora Cris Souza

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
estarei usando este espaço para estar mais pertinho das pessoas que gostam de mim e do meu trabalho à frente da educação e cultura. Não lembrava de ter criado este blog, kkkkkkkk, já que tenho o DICAS PEDAGÓGICAS, há anos, com mais de 3 milhões de acessos. Cavucando por aqui, reencontrei este blog, e claro que vou usá-lo a partir de agora. Abraço fraterno.